O preço da cruz

0 Fla­res Twit­ter 0 Face­bo­ok 0 Goo­gle+ 0 0 Fla­res ×

Por­que Deus amou o mun­do de tal manei­ra que deu seu Filho uni­gê­ni­to, para que todo aque­le que nele crê não pere­ça, mas tenha a vida eter­na” (Jo 3:16).

Os cris­tãos des­te sécu­lo têm o pri­vi­lé­gio de se depa­rar com uma gama de infor­ma­ções decor­ren­tes do avan­ço tec­no­ló­gi­co e das idei­as difun­di­das por vári­os pen­sa­do­res que per­mi­tem o apro­fun­da­men­to da his­tó­ria bíbli­ca, tan­to no cam­po his­to­ri­o­grá­fi­co pro­pri­a­men­te dito quan­to na arque­o­lo­gia. Pode­mos até visu­a­li­zar deter­mi­na­dos acon­te­ci­men­tos repro­du­zi­dos pela mídia com a máxi­ma pro­xi­mi­da­de do modo como foram viven­ci­a­dos na épo­ca.

Essa rique­za de conhe­ci­men­tos que temos às mãos atu­al­men­te é tão cer­ta quan­to a des­va­lo­ri­za­ção do ápi­ce da men­sa­gem de Cris­to duran­te Seu minis­té­rio entre os povos. Jesus per­cor­reu cida­des, encon­trou pes­so­as de cul­tu­ras dife­ren­tes, ope­rou mila­gres, res­sus­ci­tou mor­tos, decla­rou o Seu Rei­no e rea­li­zou tan­tos outros fei­tos com tal sim­pli­ci­da­de e pro­fun­di­da­de que foi capaz de trans­for­mar a vida de homens humil­des a pon­to de tor­ná-los agen­tes de influên­cia e trans­for­ma­ção em outras vidas. E, a par­tir des­se movi­men­to, ain­da hoje damos cré­di­to ao Evan­ge­lho que eles pre­ga­ram. É pos­sí­vel apon­tar a des­va­lo­ri­za­ção da men­sa­gem de Jesus quan­do, cons­ci­en­tes de Seu per­cur­so de mor­te e res­sur­rei­ção, des­con­si­de­ra­mos Seu sofri­men­to e Sua dor na cruz, bem como Seu poder de gerar trans­for­ma­ção em outras vidas.

O valor da men­sa­gem de Jesus pre­ci­sa neces­sa­ri­a­men­te pas­sar pela cruz. Temos de lidar com as dores e sofri­men­tos que nos levam à mor­te para res­sus­ci­tar após cada difi­cul­da­de com uma nova pers­pec­ti­va de vida e espe­ran­ça de um futu­ro glo­ri­o­so. A cruz é o cami­nho que con­duz a uma mor­te ter­re­na e, con­tra­di­to­ri­a­men­te, nos leva a uma vida de gló­ria eter­na, na pre­sen­ça do Pai.

Na nos­sa lida diá­ria dian­te dos nos­sos desa­fi­os, quan­to temos valo­ri­za­do a cruz? Quan­to temos repen­sa­do nos­sas difi­cul­da­des em favor do mere­ci­men­to da vida eter­na? É incrí­vel como nos depa­ra­mos com pala­vras pro­fé­ti­cas de impac­to na gera­ção atu­al, nos movi­men­tos que exal­tam o mover do Espí­ri­to San­to, nos even­tos e ajun­ta­men­tos da “gale­ra gos­pel”, mas em nada dis­so a men­sa­gem da cruz é mini­ma­men­te expres­sa no seu real sen­ti­do: a vida res­sur­re­ta para a eter­ni­da­de!

Pre­ci­sa­mos nos pre­o­cu­par com o fim ver­da­dei­ro para o qual Jesus pre­gou Seu Rei­no: aco­lher os que estão neces­si­ta­dos, doen­tes, mor­tos em vida, sem espe­ran­ça nem pers­pec­ti­va de uma vida melhor, e jun­tar­mo-nos a eles, car­re­gan­do a cruz que nos per­ten­ce e vali­dan­do o esfor­ço de Jesus em tor­nar pos­sí­vel a sal­va­ção para cada um de nós. Sem a mor­te na cruz, não have­ria o mila­gre da res­sur­rei­ção. Sem valo­ri­zar a cruz e per­ma­ne­cer no cami­nho, não há sal­va­ção.

A igre­ja care­ce de quem pode e quer che­gar aos céus levan­do con­si­go todo aque­le por quem Cris­to mor­reu. A soci­e­da­de na qual esta­mos inse­ri­dos pre­ci­sa abrir os olhos e des­co­brir que mais impor­tan­te do que ter bên­çãos é viver a bên­ção da eter­ni­da­de ao lado do nos­so Pai, o Cri­a­dor. A vida eter­na é o pre­sen­te mais vali­o­so que cada um de nós pode rece­ber.

Vamos, sim, rea­li­zar ajun­ta­men­tos, libe­rar pala­vras pro­fé­ti­cas e exal­tar o poder do Espí­ri­to San­to na árdua e mara­vi­lho­sa tare­fa que nos con­duz à vida eter­na. Pre­ci­sa­mos lem­brar que fomos cha­ma­dos para a sal­va­ção e, o mais impor­tan­te, que é de gra­ça! Não mere­cía­mos, mas pode­mos des­fru­tar des­se pri­vi­lé­gio!

Pra. aca­dê­mi­ca Michelly Fer­rei­ra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *