Olhe para a cruz

0 Fla­res Twit­ter 0 Face­bo­ok 0 Goo­gle+ 0 Pin It Sha­re 0 0 Fla­res ×

Cer­ta­men­te, a pala­vra da cruz é lou­cu­ra para os que se per­dem, mas para nós, que somos sal­vos, poder de Deus” (1 Co. 1:18).

Tenho com­par­ti­lha­do com algu­mas pes­so­as a difi­cul­da­de que mui­tas vezes temos de colo­car em prá­ti­ca toda a teo­ria que apren­de­mos na igre­ja. Em outras pala­vras, como é difí­cil ter­mos uma vida con­sa­gra­da, ínte­gra e san­ta num mun­do tão detur­pa­do e cor­rom­pi­do como este em que nós vive­mos! Essa é uma cons­ta­ta­ção que pode­mos fazer sem mui­to esfor­ço. Con­tu­do, o que impor­ta é o que fare­mos a par­tir des­sa rea­li­da­de.

Para alguns, depa­rar-se com a difí­cil tare­fa de viver aqui­lo que apren­de­mos cau­sa tris­te­za e desâ­ni­mo. “Eu nun­ca vou con­se­guir me con­sa­grar” ou “eu sou fra­co demais pra isso” é o que cos­tu­ma pas­sar pela cabe­ça des­sas pes­so­as, que mui­tas vezes aca­bam se entre­gan­do ao peca­do e à ini­qui­da­de.

Dian­te dis­so, não pode­mos nos esque­cer de alguns prin­cí­pi­os. Pri­mei­ra­men­te, quem nos san­ti­fi­ca é o pró­prio Deus: “Pois Deus está sem­pre agin­do em vocês para que obe­de­çam à von­ta­de dele, tan­to no pen­sa­men­to como nas ações” (Fp. 2:13 – NTLH). Sem a ação sobe­ra­na e mise­ri­cor­di­o­sa de Deus, jamais tería­mos con­di­ções de nos sepa­rar e nos con­sa­grar a Ele. Deus é quem nos dá a for­ça, o dis­cer­ni­men­to e a deter­mi­na­ção neces­sá­ri­os para tri­lhar­mos um cami­nho de san­ti­da­de: “Que o pró­prio Deus da paz os san­ti­fi­que intei­ra­men­te. Que todo o espí­ri­to, alma e cor­po de vocês sejam con­ser­va­dos irre­pre­en­sí­veis na vin­da de nos­so Senhor Jesus Cris­to” (1 Ts. 5:23 – NVI).

Em segun­do lugar, pre­ci­sa­mos ter cla­re­za de que todo esfor­ço que pos­si­vel­men­te tenha­mos de fazer para nos sepa­rar para Deus não se com­pa­ra em nada ao esfor­ço que Deus fez para nos sepa­rar para Ele. Nenhum cami­nho, nenhu­ma jor­na­da, nenhum esfor­ço se com­pa­ra ao que Cris­to fez por nós ao ir para a cruz. Quan­do olha­mos para a cruz vazia, lem­bra­mo-nos de que a úni­ca coi­sa sobre a qual não temos con­tro­le nenhum, que é a mor­te, já foi ven­ci­da (1 Co. 15:54–57). O que era mais difí­cil e pare­cia impos­sí­vel Deus já fez por nós. Além de nos livrar do juí­zo eter­no e nos dar a vida eter­na, Deus nos mos­tra, pelo sacri­fí­cio de Seu Filho, que todo sacri­fí­cio que tenha­mos de fazer é ínfi­mo e per­fei­ta­men­te pra­ti­cá­vel.

Por mais difí­cil que pos­sa ser mudar os hábi­tos, valo­res e com­por­ta­men­tos que nos afas­tam de Deus, pode­mos ter cer­te­za de que Ele é o mai­or inte­res­sa­do em fazer com que isso acon­te­ça. Por isso, Ele nos dará a fé de que pre­ci­sa­mos para ven­cer as ten­ta­ções e o nos­so pró­prio “eu”.

Sem­pre que nos desa­ni­mar­mos e pen­sar­mos em desis­tir, que pos­sa­mos olhar para a cruz e assim nos lem­brar­mos do amor incal­cu­lá­vel e do esfor­ço sobre-huma­no que Jesus empre­gou e tem empre­ga­do por nós. E que essa seja então a moti­va­ção mai­or para con­ti­nu­ar­mos nos cami­nhos do Senhor, no cami­nho da san­ti­fi­ca­ção.

Pr Tiago Valentim

Com cari­nho e esti­ma pas­to­ral,
Pr. Tia­go Valen­tin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *