Começando o ano com Jesus

0 Fla­res Twit­ter 0 Face­bo­ok 0 Goo­gle+ 0 Pin It Sha­re 0 0 Fla­res ×

Cele­bra­ção do Ano Novo”, por Irfan Mir­za (2016)

Amanhã come­ça um novo ano! Sim, é ama­nhã! Tal­vez você este­ja pen­san­do: “Acho que o pas­tor se con­fun­diu”. Eu real­men­te esta­ria con­fu­so se esti­ves­se falan­do do calen­dá­rio gre­go­ri­a­no, segun­do o qual o ano tem 12 meses, as sema­nas sete dias e, por­tan­to, ain­da fal­ta uma sema­na para come­çar 2018.

Mas, na ver­da­de, eu estou tra­tan­do do calen­dá­rio litúr­gi­co, ou Ano Litúr­gi­co. O calen­dá­rio litúr­gi­co não foi fei­to sobre uma ideia, mas sobre uma pes­soa: Jesus Cris­to. Esse calen­dá­rio se baseia, por­tan­to, na his­tó­ria da sal­va­ção, cujo cen­tro irra­di­a­dor é o mis­té­rio pas­cal e a união em Cris­to. Ao lon­go dos sécu­los, con­ven­ci­o­nou-se uma estru­tu­ra para o Ano Cris­tão que se orga­ni­za em qua­tro gran­des ciclos: Natal, Pri­mei­ro Tem­po Comum, Pás­coa e Segun­do Tem­po Comum.

Por­tan­to, para nós cris­tãos o ano se ini­cia no Natal, pois o come­ço de todas as coi­sas se dá na pes­soa de Cris­to: “Por­que d’Ele, e por meio d’Ele, e para Ele são todas as coi­sas” (Rm 11:36); “Todas as coi­sas foram fei­tas por inter­mé­dio d’Ele, e, sem Ele, nada do que exis­te teria sido fei­to” (Jo 1:3). Toda a nos­sa fé ou o que dá sen­ti­do a ela come­ça a ser expe­ri­men­ta­do a par­tir de ama­nhã, quan­do cele­bra­mos o nas­ci­men­to do nos­so Sal­va­dor, Jesus Cris­to.

Pode­mos dizer que, para nós cris­tãos, o ano come­ça, ou pelo menos deve­ria come­çar, no dia 25 de dezem­bro, e não no dia 1º de janei­ro, mui­to menos depois do Car­na­val! É cer­to que o come­ço ofi­ci­al do ano é no pri­mei­ro dia de janei­ro. Con­tu­do, vale pen­sar como esta­mos come­çan­do o ano: com Jesus ou sem Ele. Por­que, se come­çar­mos o ano sem que Cris­to seja para nós o cen­tro de todas as coi­sas, sem que Ele seja a moti­va­ção para ini­ci­ar­mos um novo ciclo, esse novo ano será sem sen­ti­do, vazio e des­pro­po­si­tal.

No Natal, todas as aten­ções se vol­tam para Jesus Cris­to. Ain­da que, no comér­cio e em algu­mas regiões do mun­do, o Natal seja lem­bra­do com outras fina­li­da­des, não há como esca­par do ine­vi­tá­vel: só exis­te Natal por­que Jesus nas­ceu. Ain­da falan­do de data­ções, tan­to o calen­dá­rio juli­a­no como o gre­go­ri­a­no são base­a­dos no Anno Domi­ni, expres­são em latim que sig­ni­fi­ca “Ano do Senhor”, tam­bém apre­sen­ta­da na sua for­ma abre­vi­a­da, “A.D.”. É uma expres­são uti­li­za­da para mar­car os anos seguin­tes ao ano 1 do calen­dá­rio; ou seja, nes­ta era em que esta­mos viven­do, o tem­po come­çou a ser con­ta­do a par­tir de Jesus.

Ini­ci­ar um ano novo sem que Jesus seja o alvo, o obje­ti­vo, o prê­mio, esse ano fatal­men­te se tor­na­rá um tem­po trá­gi­co, no qual até mes­mo as rea­li­za­ções alcan­ça­das serão vazi­as, pois, sem Jesus, nada faz sen­ti­do ou tudo per­de o sen­ti­do. Se come­çar­mos o ano cele­bran­do o nas­ci­men­to de Jesus, se o nos­so pri­mei­ro dia do ano for 25 de dezem­bro, quan­do o dia 1º de janei­ro che­gar cer­ta­men­te tere­mos gran­des chan­ces de “come­çar” um novo ano mui­to bem.

Meu dese­jo e o de minha famí­lia é de que você, meu irmão e minha irmã, cele­bre com toda a ale­gria o nas­ci­men­to do nos­so Sal­va­dor e que Ele seja a razão do seu viver e de cada dia da sua exis­tên­cia, em 2018 e até a eter­ni­da­de. Que você pos­sa come­çar um novo ano com Cris­to.

Um aben­ço­a­do Natal e um feliz Ano Novo para você e sua famí­lia!

For­te abra­ço,

Com cari­nho esti­ma pas­to­ral,

Pr Tiago Valentim

Pr. Tia­go Valen­tin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *